Viana do Alentejo – Filipe Gonçalves triunfa em tarde de casa cheia

Viana do Castelo

O cavaleiro Filipe Gonçalves, foi o indiscutível e máximo triunfador da corrida que esta tarde aconteceu em Viana do Alentejo, por ocasião da Feira D’Aires.
A praça de touros portátil instalada nas imediações do Santuário D’Aires, encheu para assistir a um espectáculo com elenco composto pelos cavaleiros Luís Rouxinol, Filipe Gonçalves e Jacobo Botero, com pegas a cargo dos Amadores de São Manços e Real de Moura.
O festejo de hoje, constituía ainda o máximo interesse, por ali acontecer a estreia absoluta da ganadaria Monte de Cadema, sendo o veterano Luís Rouxinol a lidar o primeiro toiro do referido ferro, saído a uma arena.
Não foi um triunfo ganadeiro, mas e apesar de tudo, uma corrida apenas é parda em comparações, pelo que as considerações, restringem-se apenas e só a este festejo. As reses deixaram-se lidar, algumas com mais mobilidade que outras…
>A Luís Rouxinol coube ‘estrear’ o ferro de que se fala, rubricando uma actuação cumpridora, montando o Ulisses. Frente ao segundo do seu lote, com evidentes condicionantes físicas, cumpriu, montando o Douro. Luís usou do seu ofício para poupar o oponente, tentando prolongar as suas condições de lide.

Jacobo Botero não teve uma passagem feliz por Viana do Alentejo. A sua derradeira actuação foi recheada de toques nas montadas, sendo que se prefere recordar a primeira, em timbre regular, alegrada com um violino.
O verdadeiro triunfador do festejo haveria de ser aquele a que se apelida já o legítimo triunfador da temporada. Filipe Gonçalves tem uma primeira prestação com ferros francamente bons. O primeiro curto teria motivado o toque imediato dos acordes musicais o que não se verificou. O Xique e as suas palmas, acompanharam dois violinos, como ‘cereja em cima de um bolo’ muito saboroso.
A segunda prestação do ginete, foi também de boa nota, embora sem o poder de transmissão da primeira, visto que o oponente era escasso nesta matéria. Filipe terminou com um par de bandarilhas, sorte que não praticava há já algum tempo, fruto da lesão no braço, da qual ainda padece.
As pegas da tarde foram efectivadas por dois grupos de forcados alentejanos. Os de São Manços e Real de Moura. Ambas as formações estiveram em bom nível, havendo apenas uma pega, por parte do Grupo de São Manços, a ser efectivada ao quinto intento. São Manços, consumou ainda pegas ao primeiro e segundo intento, sendo que por Moura, concretizaram-se as sortes à primeira e segundas tentativas respectivamente.
O festejo foi dirigido pelo Sr. João Cantinho.